top of page

Empresas agora devem informar raça e etnia dos trabalhadores



O governo federal sancionou uma alteração na Lei do Estatuto da Igualdade Racial que torna obrigatório, para setores público e privado, o uso de formulários que registrem a raça e a etnia dos trabalhadores.


A alteração tem por objetivo subsidiar a implementação de políticas públicas pelo poder público.


Com a medida, a informação passa a ser obrigatória nos seguintes documentos:

  • Formulários de admissão e demissão no emprego;

  • Formulários de acidente de trabalho;

  • Instrumentos de registro do Sistema Nacional de Emprego (Sine), ou de estrutura que venha a suceder-lhe em suas finalidades;

  • Relação Anual de Informações Sociais (Rais), ou outro documento criado posteriormente com conteúdo e propósitos a ela assemelhados;

  • Documentos, inclusive os disponibilizados em meio eletrônico, destinados à inscrição de segurados e dependentes no Regime Geral de Previdência Social;

  • Questionários de pesquisas levadas a termo pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ou por órgão ou entidade posteriormente incumbida das atribuições imputadas a essa autarquia.

Essa obrigatoriedade impacta diretamente os programas de conformidade à Lei Geral de Proteção de Dados - LGPD, implementados ou que estejam em processo de implementação. Isso porque, os agentes de tratamento de dados pessoais precisarão tratar adicionalmente o dado “raça” em algumas rotinas administrativas que envolvem a gestão de pessoas, conforme relação citada acima, sendo necessário, portanto, atualizar os registros de operações de tratamento de dados pessoais, considerando a alteração de diversos processos.


As bases legais para o tratamento de dados sensíveis são: consentimento, cumprimento de obrigação legal, execução de políticas públicas, estudos por órgãos de pesquisas, exercício de direitos em processos administrativos/judiciais, proteção da vida/integridade física, tutela da saúde e prevenção à fraude aos dados do titular, sendo que no caso da alteração havida no Estatuto da Igualdade Racial, o tratamento de dados étnicos e raciais passa a ter como base legal o cumprimento de obrigação legal.


Dessa forma, além de os empregadores terem a obrigação de manter esses formulários contendo essas informações, deverão se atentar à adequação à Lei Geral de Proteção de Dados.


Vale lembrar que no texto da Lei que alterou o Estatuto da Igualdade Racial, não há previsão de eventuais sanções que poderão ser impostas aos empregadores que não obedecerem à obrigatoriedade das informações, mas há sanções previstas na LGPD no caso de não observância ao tratamento desses dados sensíveis.


Advogada Mauricélia José Ferreira Hernandez

26 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page